ENTRADA ANTERIOR Revolução 4.0: Você está preparado para automatizar sua gestão de RH?

Inteligência Artificial, Futuro ou Presente do RH?

Inteligência Artificial, Futuro ou Presente do Recursos Humanos?

Há 30 anos através da máquina do tempo “DeLorean”, com Marty e Doc Brown, fomos transportados para o futuro do dia 26 de outubro de 1985 até dia 21 de outubro de 2016. Se bem ainda não dirigimos carros voadores ou usamos roupas que secam sozinha, “De volta para o futuro” fez um trabalho incrivelmente bom em termos de previsões de como seria o mundo de hoje, onde as chamadas por vídeo e wearables são parte cotidiana das nossas vidas. Mas esta visão cinematográfica também nos permitiu vislumbrar um desenvolvimento tecnológico capaz de entregar “superpoderes” aos seres humanos e isso que antes parecia tão longe hoje já é uma realidade.

 

A Inteligência Artificial, o Blockchain, o desenvolvimento de loT (Internet of Things), e os apps na Nuvem (Cloud Computing) podem ajudar a aumentar a produtividade, a satisfação e a forma como completamos muitas das nossas tarefas. A predição, capacidade de prever e simular eventos futuros para se antecipar na tomada de decisões hoje, a onipresença, a capacidade de estar presente em diferentes lugares, são somente alguns dos “superpoderes” que temos e que irão nos permitir antecipar e prever problemas. Tudo isso graças aos atuais avanços da tecnologia em nível cognitivo.

 

Inteligência Artificial, o amanhã que vivemos hoje


A inteligência artificial (IA), o aprendizado automático e são algumas das tecnologias que estão impulsionando o desenvolvimento de Recursos Humanos. A Inteligência Artificial finalmente passou a ser uma realidade fora do ambiente de pesquisas, graças à rápida evolução nos últimos anos das Redes Neurais, Machine Learning e Big Data.


Tanto assistentes pessoais de voz como Siri e Alexa, como tecnologias mais fundamentais e subjacentes, como algoritmos de comportamento, procuras sugestivas e veículos autônomos com capacidade de predição, são exemplos de usos reais na atualidade. Sem ir muito longe, vemos cada vez mais este desenvolvimento cognitivo das máquinas nas buscas do Google, já que com isso estamos interagindo e nutrindo a IA. Por exemplo, se você procurar imagens e escrever “Câmera” e logo clicar na imagem mais parecida a uma câmera, você está ensinando a Inteligência Artificial o que é fisicamente uma câmera. Cada uma das 12.100 milhões de consultas que os 1.200 motores de pesquisa associados ao Google realizam cada dia são tutoriais de aprendizado para a IA.


Os computadores pensantes já não formam parte de uma visão de futuro. Hoje, na era da informática cognitiva, as máquinas já não se programam, mas aprendem e se comunicam, com os seres humanos permitindo resultados mais precisos e rápidos, melhorando nossa qualidade de vida, produtividade, eficiência e sobretudo redistribuindo nosso valioso tempo para focá-lo nas nossas tarefas que antes não podíamos realizar.


Na indústria moderna, a Inteligência Artificial se une com a Big Data para proporcionar métricas e previsões que as empresas podem usar para aumentar a eficiência e a efetividade em quase qualquer componente das suas operações. No que diz respeito às funções de Recursos Humanos, IA pode ser uma ruptura numa ampla variedade de aplicações. Uma pesquisa realizada pela IBM descobriu que a metade dos diretores do RH já reconhecem e antecipam o potencial da tecnologia para reinventar por completo as responsabilidades críticas do gerenciamento de pessoas, incluídas as operações, além da aquisição e desenvolvimento dos talentos. A IA está ponto de transformar muitos aspectos de RH para equipa-lo melhor para um lugar de trabalho dinâmico e em constante evolução.

 

IBM Watson está trabalhando para construir um modelo preditivo para as empresas. Em poucas palavras, Watson pode detectar as razões mais típicas que contribuem ao desgaste dos colaboradores simplesmente analisando um arquivo de dados estruturado que se alimenta nele. Logo é gerada uma pontuação para cada funcionário em função da probabilidade calculada de que ele renuncie ao seu trabalho. Este modelo preditivo pode desempenhar um papel fundamental para aliviar os problemas de turn-over em uma empresa.

 

“A Inteligência Artificial será mais importante para a humanidade que a eletricidade ou o fogo.” CEO da Google, Sundar Pichai

 

O que vem a seguir:

  • Blockchain: uma base de dados distribuída e segura (graças à criptografia) que pode ser aplicado a todo tipo de transações que não tem porque ser necessariamente econômicas, é uma tecnologia que aumentará os níveis de transparência nas empresas reduzindo as condições que provocam as disparidades salariais. Isso será possível com uma mudança no jeito em que se paga o salário de um colaborador, calculando e alinhando o salário com o rendimento, eliminando barreiras de idade, gênero, etnia, etc. Por tanto, ajudando a aumentar a igualdade de oportunidades no trabalho. Como estipula a Deloitte: “De forma similar à Internet, Blockchain tem o potencial de afetar verdadeiramente múltiplas indústrias e fazer que os processos sejam mais seguros, transparentes e eficientes.”

  • Analytics ainda mais inteligentes: Durante anos, as empresas têm recolhido dados sobre seus clientes e colaboradores para obter informações que permitam prever o comportamento futuro. Determinar que dados localizar, analisar, administrar e proteger permitirá que a AI tenha um papel mais importante dentro de RH. Na interminável guerra pelo talento, as empresas irão procurar jeitos inovadores de atrair os melhores talentos. As tecnologias que melhoram a experiência do candidato e satisfazem as expectativas digitais do candidato ajudam a identificar as empresas entre si.

  • Redução de rotação voluntária: As plataformas de AI estão projetadas para selecionar os funcionários que podem estar se dirigindo para a porta de saída. Realizando um seguimento da atividade do computador dos colaboradores (e-mails, pulsações de teclas, navegação pela internet, etc.) a informação é armazenada durante um mês e implementa um sistema de IA que analisa os dados para determinar uma linha base de patrões da atividade normal da organização. Conseguindo assinalar indicadores atípicos e informando os mesmos ao empregador, detectando mudanças no tom geral das comunicações aos funcionários para prever quando os empregados poderiam pensar em ir embora.


Sem dúvida a Inteligência Artificial é uma oportunidade para que o Recursos Humanos automatize “tarefas repetitivas de baixo valor”, aumentando o foco no trabalho mais estratégico e/ou criativo. A medida que as ferramentas de IA automatizam tarefas comuns de RH como o gerenciamento de benefícios, as perguntas e solicitações comuns, as equipes de Recursos Humanos terão mais tempo para realizar outras atividades que têm um maior impacto no sucesso organizacional.

 

BAIXAR ESTUDO

 

Thiago Goncalves

Thiago Goncalves

Chief Customer Officer, GOintegro

ENTRADA SIGUIENTE 8 Dicas para ser um Agente de Mudança Organizacional através de Recursos Humanos

Assine o Blog

Vistar Website
Descargar GOpass Product Sheet

Tópicos recentes