As 9 tendências que estão em pauta no RH em 2019

por José Guerra
13 min de leitura.

A medida que o ano passa, conseguimos acompanhar o ritmo e o contexto no qual se encontram as empresas ao redor do mundo, onde enfrentam múltiplos desafios para atingir as metas de 2019 e garantir maiores níveis de competitividade em um mercado cada vez mais digital e vertiginoso. Nesse cenário, vemos uma redefinição de modelos tradicionais, marcados pela Transformação Digital e onde a Gestão de Talentos, a Cultura Organizacional e a Experiência dos Colaboradores aparecem como fatores-chave para o sucesso do negócio.

 

Nesse sentido, a área de Recursos Humanos é chamada para ser protagonista e enfrentar esses novos desafios. Seus líderes hoje têm a oportunidade de se adaptarem e se tornarem agentes de mudança que impulsionam estratégias inovadoras para o futuro, voltadas para as pessoas. Como consequência, a incorporação de tecnologia para automatizar processos de gestão ou metodologias que incentivem a colaboração efetiva requer não apenas conhecimento técnico, mas também pensamento criativo e inovador. E como sabemos que é essencial estar alinhado com esse desenvolvimento e com a vanguarda das novas mudanças, apresentamos 9 tendências que estão tomando a agenda de inovação do RH até o momento.

1. Analítica Aumentada (Augmented Analytics): uma nova geração de HR Analytics.

A "analítica aumentada" promete dar aos líderes uma maneira mais fácil de analisar e tirar conclusões dos dados das pessoas. Uma estrutura analítica aprimorada pode examinar automaticamente os dados de uma empresa, depurá-los e transformá-los em conhecimento prático, com pouca ou nenhuma supervisão de um especialista em tecnologia. Isso contribui para a tomada de decisões rápida e eficaz.

Algumas das aplicações de analítica aumentada são:

  • Gerar uma tecnologia automatizada de detecção de padrões que procura alterações importantes nos conjuntos de dados, como variações em alguma tendência ou métricas da força de trabalho ao longo do tempo.

  • Usar ferramentas "gráficas" que podem encontrar conexões importantes em diferentes conjuntos de dados de Recursos Humanos ou outros bancos de dados organizacionais.

  • Explicar tendências e principais descobertas de uma maneira simples sem ter que analisar várias planilhas ou painéis de controle para descobrir o que querem dizer os dados..

2. Chatbots: reduz o tempo, digitaliza seus processos e impulsiona o seu Employee Experience

Estudos provam que chatbots, ou robôs de conversa, poderiam ajudar a reduzir os custos de negócios em até US$ 8 bilhões por ano até 2022. Portanto, seu potencial para melhorar as operações de RH não deve ser ignorado.

Os líderes de RH podem usar os robôs para otimizar os processos relacionados ao recrutamento, onboarding, FAQ, treinamento, registro de benefícios, avaliações, revisões, entre outros. Da mesma forma que o Alexa é uma fonte de dados para a Amazon extrair informações de seus clientes, os chatbots serão uma fonte de dados para as organizações conhecerem melhor seus colaboradores.

Aplicado às perguntas e conversas que os funcionários têm com os chatbots de uma empresa, o aprendizado automático dá a cada um uma voz única e nunca antes ouvida, o que revela problemas subjacentes mesmo antes que os funcionários estejam cientes deles.

3. Inteligência Artificial Prática: novas habilidades para melhorar sua gestão de pessoas.

De acordo com Ben Eubanks, Analista Principal da Lighthouse Research and Advisory, se 2018 foi o ano em que todos falaram sobre IA, 2019 será o ano da “IA prática”. Em seu livro Inteligência Artificial para Recursos Humanos, fala sobre como se pode usar a IA para resolver problemas reais que os líderes de Recursos Humanos enfrentam diariamente.


IBM, PWC e Deloitte, entre outros, realizaram pesquisas sobre o impacto do IA no RH nos últimos meses e a mensagem é clara: as empresas querem IA, mas não têm talento, liderança ou confiança em sua equipe para isso aconteça. Antecipe este desafio e pule do teórico para o prático em sua gestão de tecnologia de IA e RH.

4. Storytelling: histórias que de fato cativam seus colaboradores

No livro A ciência por trás do surpreendente poder da história de Kendall Haven, revela que a mente humana é construída para fazer conexões e encontrar significado através de histórias. Como resultado, o “Storytelling”, até agora subutilizado, tem grande destaque em 2019. Isso porque, em um mercado de trabalho altamente competitivo, as equipes de RH terão que encontrar novas maneiras de reter e atrair os melhores talentos.

Para contar histórias mais impactantes, a Realidade Virtual (VR). será de grande ajuda. Com ela, você pode simular o ambiente físico e fazer com que o funcionário pratique o processo várias vezes até ter confiança no gerenciamento do procedimento. O fator de repetição e prática em um ambiente autêntico, onde o contexto muda drasticamente com base nas ações dos colaboradores, melhora significativamente o resultado da aprendizagem.

5. IoE (Internet of Everything – Internet de todas as coisas): impulsione seu Employee Experience

A “Internet de todas as coisas” (IoE) inclui comunicações geradas pelo usuário e interações associadas à totalidade geral dos dispositivos em rede. É uma tendência que veremos cada vez mais em RH para coletar dados de funcionários e obter informações sobre a produtividade da força de trabalho, comunicação, tendências, o efeito de uma mudança na localização da produtividade dos funcionários, etc.

Por exemplo: muitos escritórios usam cartões de identificação para acessar o prédio onde trabalham ou marcar sua presença. Essas credenciais poderiam servir como identificações sociométricas e serem usadas para rastrear a localização de um colaborador ou, até mesmo, seus níveis de estresse, através de seu tom de voz, batimentos cardíacos etc. Um caso de sucesso foi a Deloitte Canada, que redesenhou seu local de trabalho usando dados dos crachás sociométricos de seus funcionários.

6. Mensagens instantâneas: amplia o escopo da comunicação interna

De acordo com o Informe de mobilidade publicado por Ericsson em 2018, o tráfego mensal total de dados móveis em todo o mundo aumentará de 15 exabytes em 2017 para 107 exabytes em 2023, apresentando uma taxa de crescimento anual de 39%.

O desafio (e a oportunidade) é aproveitar o potencial dos dispositivos móveis para impulsionar grupos de trabalho eficazes que promovem a colaboração e melhoram o desempenho. Apps corporativos devem se tornar comuns em 2019. Eles não apenas oferecem uma janela para a organização, mas também fortalecem a comunicação, o comprometimento e a lealdade dos funcionários com a empresa.

7. Microlearning: adquirir novas habilidades para liderar como Agente de Mudança

Especialista em Recursos Humanos, Josh Bersin, mencionou em seu discurso UNLEASH Amsterdam 2018: “As lacunas de habilidade são maiores do que nunca. Agora, temos um detalhamento completo das maneiras pelas quais as carreiras funcionam. Carreiras verticais e tradicionais estão se tornando menos populares, cada vez menos importantes. Por isso, precisamos de melhores ferramentas para as pessoas reciclarem continuamente".

Aqui a micro aprendizagem será um grande aliado para os líderes de RH continuarem a treinar de forma eficaz através de pequenas unidades de aprendizagem, ao contrário dos cursos que consomem muito tempo. Ajudar os funcionários a adquirir novas habilidades é uma prioridade para os líderes modernos de RH.

8. Employer Branding: empoderamento da narrativa da marca

Hoje em dia é necessário passar da reatividade para a proatividade. Em vez de reagir ao modo como a empresa é percebida on-line, por exemplo, por meio de revisões e comentários, as organizações podem exercer maior controle sobre a narrativa. Esta tarefa é conseguida através da criação de campanhas de marketing criativas e da gestão de redes sociais que incidem sobre os valores da empresa, de forma a atrair talentos que correspondam à sua cultura, ou vice-versa.

Além de criar um ambiente interno de trabalho saudável, devemos nos concentrar em valorizar o profissional com um salário justo, benefícios interessantes, política de feedbacks e transparência no relacionamento com os líderes para promover maior retenção. Os líderes de RH podem usar as tendências que mencionamos nesta lista para melhorar sua marca.

 

9. Employee Experience: a tendência que une todos os seus esforços

 

Se você ainda não focou seus esforços corporativos no Employee Experience, agora é a hora. De acordo com a pesquisa conduzida por Jacob Morgan, autor de The Employee Experience Advantage, as organizações classificadas como "experienciais" têm em média quatro vezes mais lucros, duas vezes mais renda e 40% menos volume de rotação voluntária, do que empresas que não se concentram suas ações em melhorar o Employee Experience.

Sem dúvida, poderíamos classificar o mercado de trabalho de 2019 como um dos mais competitivos que enfrentamos em décadas. Embora pareça irônico, para ter sucesso na nova ordem mundial, precisamos ser mais humanos, já que características como inteligência emocional, criatividade, inovação, persuasão e habilidades de gestão de pessoas se tornarão ainda mais valiosas.

Convido toda a comunidade de RH a ver mais, treinar e capacitar-se nesta grande oportunidade que os Recursos Humanos têm para liderar a transformação digital de suas empresas. 

 

BAIXAR ESTUDO

 

José Guerra
Escrito por José Guerra

Chief Marketing Officer, GOintegro

GOintegro

INSCREVA-SE PARA RECEBER CONTEÚDO EXCLUSIVO DO NOSSO BLOG