O Employer Branding se consolida na LatAm, segundo estudo

por Daniel Bogomoltz
3 min de leitura.


Diante de uma maior tendências das pessoas a mudarem de emprego e a crescente pressão por se adaptar às suas expectativas, os diretores de Recursos Humanos na América Latina não têm hesitado em priorizar o Employer Branding para reter os melhores talentos.

Essa é uma das principais conclusões do nosso 2o Estudo Latino-Americano sobre Employer Branding, que realizamos entre maio e junho de 2016. Mais de 500 empresas participaram, e deste estudo trazemos uma série de insights, como por exemplo:  

  • 41% das empresas latino-americanas possuem uma estratégia formal de Employer Branding. Nas organizações com mais de 2.500 colaboradores, essa cifra ultrapassa os 60%.
  • Estas empresas gerenciam seu Employer Branding com iniciativas de capacitação e desenvolvimento, benefícios de saúde, escuta organizacional e comunicação interna.
  • Existe um foco em retenção que é apontado nos KPIs usados para medir a estratégia: pesquisas de clima, taxa de rotação e nível de engajamento. Os indicadores de atração como “time-to-fill” aparecem somente em quarto lugar.
  • 40% das companhias que hoje não atuam com Employer Branding pensam em iniciar o trabalho antes do fim do ano, ou durante o próximo.

Potencializar a Marca do Empregador (gerenciar uma imagem atraente em torno da empresa, baseada no engajamento e defesa dos colaboradores) é fundamental para um gestão de talento com sucesso no mundo de hoje.

Este relatório gratuito permite entender não somente as tendências e melhores práticas  na região, mas também a realidade de cada país. Esperamos que seja útil para os diretores de Recursos Humanos interessados em potencializar sua gestão de talento.  

New Call-to-action

 

Daniel Bogomoltz
Escrito por Daniel Bogomoltz

Country Manager, GOintegro Brasil

New call-to-action
Nueva llamada a la acción

INSCREVA-SE PARA RECEBER CONTEÚDO EXCLUSIVO DO NOSSO BLOG