Acelerar o Employee Engagement: uma receita para o desastre

por Thiago Goncalves
6 min de leitura.

Certamente você já sabe a importância do Employee Engagement para a produtividade da sua organização. Mas, tenha cuidado com a pressa! Há um história do agricultor desesperado, um homem com tanta ansiedade e necessidade de que sua colheita estivesse pronta, que uma noite ele não aguentou mais e decidiu ir ver se os brotos estavam germinando. Pegou sua lanterna e procurou algum sinal que indicasse que em breve viria o que ele tanto queria. Não encontra nada e volta para sua cama, seu movimento explosivo foi em vão. No dia seguinte vai ao campo com a esperança de que dessa vez a luz do sol permitisse ver o pequeno talo verde. No entanto, somente descobre que na noite anterior, ao correr pelo campo, havia esmagado aqueles indícios de vida que estavam mais fortes…


Esta analogia da história do agricultor com o Employee Engagement nos mostra que, embora seja positivo perceber a mudança que estamos vivendo e estabelecer ações concretas, é necessário fazer uma pausa e ver que ações são as indicadas para sua organização e seus colaboradores especificamente. Nem todas as ações de Employee Engagement que estão na moda são as indicadas para seu time.


Se bem a tecnologia e as novas gerações estão pressionando o tempo todo as organizações para avançar e inovar rapidamente, não se apresse! É preferível aproveitar o tempo para avaliar o que pode ser melhor para sua empresa do que terminar “esmagando” e perdendo seus melhores talentos.


Recomendo que antes de implementar ações de Employee Engagement isoladas, você comece a conhecer o estado atual do comprometimento e o que realmente os colaboradores precisam na sua empresa. Para começar você pode realizar algumas das perguntas que vão servir de pontapé inicial para a criação de ações de Employee Engagement:          


  • Numa escala de 1-10, quão feliz você é? Compreender a satisfação dos colaboradores é crucial para medir a moral, o que tem um impacto direto na produtividade e a retenção..  

  • Quão bem você entende as suas oportunidades de carreira dentro da empresa? Se os empregados conhecem suas oportunidades futuras de crescimento e desenvolvimentos, é mais provável que eles permaneçam em seu lugar de trabalho, portanto identificar suas possibilidades de progresso pode ser vital para a retenção.

  • Qual foi o último reconhecimento que te fez sentir valorizado? Se sentir apreciado pelos colegas de trabalho e seus líderes pode ser um elemento motivador significativo para os funcionários, pesquisar como os empregados estão sendo valorizados pode revelar como estão funcionando os reconhecimentos para os trabalhadores.

  • Se você pudesse mudar uma coisa sobre o seu trabalho, qual seria? Saber o que causa angústia ou frustração aos colaboradores, desde coisas que afetem seu equilíbrio entre o trabalho e a família até o futuro da empresa, podem ajudar a identificar novas maneiras de fazer com que os empregados sejam mais produtivos e estejam mais conectados com seu trabalho.   

  • Como você descreveria a cultura corporativa em três palavras? Ter um termômetro de como os colaboradores percebem o lugar de trabalho pode ajudar a entender que problemas devem ser trabalhados para melhorar o ambiente na organização.

  • Que benefício você valoriza mais? Indique 2 que gostaria que estivessem presentes na organização. Para conhecer o que seus colaboradores precisam para ser felizes na sua organização, e portanto motivá-los, é tão simples como perguntar. Envolva os colaboradores nessa etapa de brainstorming, criação e planejamento de ações.


Fazer perguntas como estas cinco podem ser uma base útil para desenvolver soluções para gerar um maior Employee Engagement e sucesso organizacional.  


Inove, crie e transforme sua organização, mas tome ações que sejam as adequadas para sua organização.  

 

New Call-to-action

Thiago Goncalves
Escrito por Thiago Goncalves

Chief Customer Officer, GOintegro

GOintegro

INSCREVA-SE PARA RECEBER CONTEÚDO EXCLUSIVO DO NOSSO BLOG