Flexibilidade, um dos segredos do sucesso para intensificar o Employee Experience

por Thiago Goncalves
8 min de leitura.

Sabemos que um dos grandes desafios para as empresas no mundo é chegar a um alto nível de Marca Empregadora, que permita se posicionar dentro do mercado de trabalho como preferência para aquisição de novos talentos. E apesar de ser um assunto prioritário dentro das agendas organizacionais, o caminho que os líderes devem percorrer para intensificar sua atratividade organizacional é bem longo e requer uma mudança não só no nível de infraestrutura, mas também cultural.

A “Pesquisa com a Geração de Millennials 2018”, realizada pela Deloitte com mais de 10.400 jovens de 36 países, mostra claramente essa tendência das novas gerações em avaliar outros aspectos na hora de entrar em uma empresa, uma vez que não veem valor só no salário, mas também é fundamental que a empresa tenha uma cultura corporativa onde a diversidade e o compromisso com as pessoas seja parte dos princípios. Fundamental para atrair e reter os melhores talentos dessas novas gerações é poder contar com programas de flexibilidade laboral.

E mais, em 2016, o estudo realizado pela Fidelity Investments, perguntou aos trabalhadores “millenials” se estavam dispostos a aceitar um corte salarial se a empresa onde trabalham pudesse garantir uma “qualidade de vida laboral melhorada” (Programas de desenvolvimento profissional, cultura corporativa inclusiva, equilíbrio Vida / Trabalho). O resultado? Os trabalhadores que responderam à pesquisa estariam sim dispostos a receber um corte médio de $7,600 (USD), uma cifra notável se pensarmos que até uma década atrás o salário era considerado o principal motor para a “atração” de talento.

Os colaboradores de hoje buscam uma experiência melhor. O que implica uma melhor Employee Experience? Para muitos, começa com a flexibilidade: De acordo com o estudo da Citrix 2017: “O trabalhador digital: O que busca e como trabalha?”,71% dos colaboradores mexicanos consideram a flexibilidade laboral como “muito importante”.

Mas para sustentar um programa eficaz que se encarregue de melhorar esse equilíbrio, é crucial intensificar ações que garantam a produtividade, colaboração e avançar rumo a uma “cultura de confiança” entre os colaboradores e os líderes da empresa.

O debate da flexibilidade no local de trabalho

Quando a flexibilidade está na mesa de debate, muitas empresas questionam sua capacidade para implementar esses programas e ao mesmo tempo manter altos níveis de compromisso e produtividade. É possível equilibrar a flexibilidade com esses indicadores fundamentais? E se for possível, a flexibilidade afeta a inovação e a eficiência?

Discutir sobre flexibilidade no trabalho gera muita preocupação e muitas vezes bate de frente com a resistência dos diretores, que preferem não inovar nesse tema, mas é uma conversa muito importante que deve acontecer imediatamente, já que causa um grande impacto em como as empresas atraem, contratam e retêm talento.

"Em um mundo onde o dinheiro já não é o fator principal de motivação dos colaboradores, focar na experiência é a vantagem competitiva mais promissora que as empresas podem criar".

Jacob Morgan
Speaker, Futurista e autor do The Employee Experience Advantage


Está comprovado que junto com ferramentas e tecnologia adequadas, o trabalho flexível permite que as empresas melhorem a produtividade, economizem tempo, reduzam custos, melhorem a retenção e aumentem a felicidade dos colaboradores.

A tecnologia como facilitador da flexibilidade e um canal para potencializar o Employee Experience

As plataformas de software, comunicações e gestão de projetos online permitem que pessoas do mundo todo possam trabalhar simultaneamente, realizando suas funções de forma quase totalmente remota. As ferramentas sociais de Comunicação Interna também são grandes aliadas na hora de flexibilizar sua força laboral, para assegurar um excelente intercâmbio de mensagens e garantir que os colaboradores estejam sempre informados. Estes são apenas alguns dos exemplos de como a tecnologia para Recursos Humanos potencializa uma força de trabalho que muda o tempo todo. Ferramentas como HR Analytics (em espanhol), te dão a possibilidade de estar sempre informado sobre o comportamento e a taxa de retenção dos seus colaboradores, além das ações que podem ser tomadas para garantir ainda mais comprometimento.

Lembremos que uma ótima Employee Experience é holística. Acompanha o colaborador do princípio ao fim, a partir do primeiro dia em que ele ou ela entram na empresa, o que gera um desafio importante para Recursos Humanos, já que seus componentes estão dispersos em diferentes pessoas, ferramentas, arquivos e formulários. O primeiro passo para o sucesso é juntar essas peças e fazer com que o Employee Experience seja consistente e agradável. Como fazer isso? Conseguindo tecnologia adequada para permitir a personalização e flexibilidade dos seus colaboradores. Se você quer descobrir como melhorar o Employee Experience, leia o seguinte post aqui.

 

DESCARGA EL ESTUDIO AQUÍ

 

Thiago Goncalves
Escrito por Thiago Goncalves

Chief Customer Officer, GOintegro

GOintegro

INSCREVA-SE PARA RECEBER CONTEÚDO EXCLUSIVO DO NOSSO BLOG